Logo NIC.Br Logo CGI.Br

Curso Intensivo da EGI

O Curso Intensivo da Escola de Governança da Internet no Brasil (EGI) é um espaço para que profissionais, ativistas, pesquisadores, gestores públicos e empreendedores possam aprofundar o conhecimento acerca dos temas e desafios relacionados à Governança da Internet no Brasil e no mundo.

O Curso Intensivo da EGI tem como objetivo capacitar interessados e principalmente atores envolvidos com o funcionamento e a governança da Internet, fornecendo subsídios, aprofundando conceitos e explicitando os contextos, temas, desafios e foros de debate para o seu desenvolvimento técnico, econômico, político e social.

O Curso Intensivo também tem como objetivos:

  • Capacitar sobre temas relacionados aos princípios para a governança e uso da Internet e sobre outros temas específicos relacionados com a Internet, prioritariamente em relação ao Brasil, mas também tratando de temas globais;
  • Capacitar e aprofundar os debates em torno dos modelos de governança multissetorial, multilateral e pluri participativo da Internet; e
  • Mobilizar e interagir com as redes de pesquisa (não apenas acadêmicas) e de atuação (empresários, ativistas, gestores, formuladores de políticas públicas e comunidade técnica) prioritariamente no Brasil, mas também na América Latina, Caribe e em demais países, para fomentar a interlocução em projetos e atividades comuns relacionados aos temas da Escola.

O Curso Intensivo é gratuito, tem a duração de 50 horas e será realizado em São Paulo - SP.

A Escola de Governança da Internet no Brasil - EGI é uma iniciativa do CGI.br. O pleno do CGI.br vem debatendo sobre a necessidade de criação de cursos para fomentar e incentivar a capacitação, pesquisa e estudos sobre a Governança da Internet no Brasil.

O Curso Intensivo da Escola de Governança da Internet teve início em 2014, com apoio do CGI.br, a partir das iniciativas de sucesso já executadas pelas equipes do NIC.br e seguindo os moldes da experiência da EuroSSIG, escola de verão europeia com mais de 10 anos de existência.

Mais detalhes sobre a aprovação da Escola de Governança da Internet no Brasil no pleno do CGI.br podem ser encontrados na Resolução CGI.br/RES/2013/042.

O processo de seleção da Escola de Governança da Internet no Brasil - EGI - é aberto para maiores de 18 anos que falem português. O programa da EGI é voltado para pesquisadores e profissionais envolvidos com temas relacionados à Governança da Internet. Trata-se de um curso de capacitação e aprofundamento dos temas de interesse público ligados à Internet.

O processo de seleção baseia-se em três aspectos principais: o primeiro consiste em uma análise curricular que levará em conta a atuação profissional do candidato e seu potencial multiplicador. O segundo consiste em uma análise de conhecimento. Para tanto, os candidatos deverão produzir um texto que aborde questões relacionadas à governança da Internet. O terceiro é o aspecto da diversidade do grupo de alunos selecionados que considera a necessidade de assegurar participação equilibrada em termos de gênero, região geográfica, setores de atuação e áreas de conhecimento dos candidatos.

O processo de seleção acontecerá entre os dias 30/04/2018 e 04/06/2018. A lista dos candidatos selecionados será divulgada no dia 05/06/2018.

1. Avaliação dos candidatos

A análise curricular levará em consideração os seguintes critérios:

  1. Envolvimento com a governança da Internet: avaliadores irão analisar se o candidato apresenta algum histórico de envolvimento ou se está atualmente engajado com o campo da governança da Internet, seja em âmbito nacional, regional ou global. Para tanto, levará em conta três aspectos a saber:
    1. Atuação em grupos de stakeholders (Empresarial, governamental, técnico-científico, sociedade civil) — Instituições/Grupos de pesquisa, associações de classe, empresas que atuem no campo, instituições e órgãos públicos relacionados, ONGs e outras instituições da sociedade que estejam envolvidas com o tema —, bem como atividades relacionadas com a Internet.
    2. Experiência/histórico de atuação nos temas relacionados à governança da Internet.
    3. Potencial multiplicador do candidato.
  2. Avaliação do texto produzido pelo candidato levara em consideração os seguintes critérios:
    1. Pertinência temática: avaliar pertinência do assunto desenvolvido no texto do candidato em relação aos temas de governança da Internet.
    2. Habilidades de leitura e escrita: avaliar coesão e coerência, aspectos formais e estruturais do texto (ortografia, gramática, pontuação, concordância, regência etc.). Os aspectos formais serão avaliados no conjunto do texto. Os avaliadores irão verificar se os aspectos formais estão contribuindo para uma leitura fluida do texto, com a clareza das ideias, ou se estão atrapalhando a leitura e compreensão do texto do candidato.
    3. Conhecimento dos temas relacionados: avaliar, qualitativamente, o conhecimento do candidato sobre os temas de governança da Internet, de acordo com o texto apresentado. A avaliação qualitativa consiste em verificar se o conteúdo apresentado está de acordo com o debate atual do campo.
    4. Articulação de fontes de informação/referências: avaliar a habilidade do candidato em articular fontes e referências importantes para o campo da governança da Internet, tanto no sentido de verificar se fontes foram utilizadas/apresentadas quanto no sentido de se perceber se essas fontes foram corretamente aplicadas e articuladas.
  3. Critério eliminatório: se for identificado plágio, o candidato terá todas as suas notas zeradas e será excluído do processo.
  4. Diversidade do grupo de alunos: O processo buscará garantir diversidade setorial, geográfica, de gênero e de perspectivas/áreas de atuação no conjunto dos candidatos selecionados.

2. Comissão avaliadora

A comissão avaliadora será composta por ex-alunos da Escola de Governança da Internet no Brasil. A composição da comissão avaliadora seguirá o critério da diversidade no que se refere ao setor de representação, à região de origem, gênero, área de pesquisa/atuação profissional etc.

Cada candidato será avaliado por no mínimo três avaliadores distintos. Cada avaliador passará por uma oficina para ser instruído sobre os critérios de avaliação e praticar avaliações para que, antes de iniciar o trabalho, tenha tido oportunidade de discutir com a coordenação da comissão avaliadora eventuais dúvidas e questões.

Todas as avaliações serão realizadas em um sistema disponibilizado pelo NIC.br que irá distribuir os candidatos aleatoriamente entre os avaliadores.

3. Nota final

A nota final será calculada em duas etapas distintas. Primeiramente, será calculada a média ponderada das avaliações individuais de cada avaliador. Os critérios de avaliação tem pesos diferenciados.

Com relação a análise curricular o critério A i) Atuação em grupos de stakeholders, tem peso 25; o critério A ii), Experiência/histórico de atuação, tem peso 25; e o critério A iii), Potencial multiplicador, tem peso 10.

Com relação a Avaliação do texto, o critério B i) Pertinência temática, tem peso 15; o critério B ii) Habilidades de leitura e escrita, tem peso 5; o critério B iii) Conhecimento dos temas relacionados, tem peso 15; e o critério B iv) Articulação de fontes de informação/referências, tem peso 5. Ao final da primeira etapa o candidato terá uma nota única que resulta da análise de cada avaliador individualmente.

Na segunda etapa, a nota será calculada com o uso da média aritmética computada sobre as notas de cada avaliador. Cada candidato será avaliado por três avaliadores diferentes. Concluída a segunda etapa, cada candidato terá uma nota final única que será utilizada para ranqueamento dos candidatos.

4. Seleção dos alunos da EGI

Ao final do processo de atribuição das notas, a coordenação da avaliação, de posse do ranking de candidatos deverá aplicar o critério de diversidade do grupo de alunos para assegurar participação equilibrada em termos de gênero, região geográfica, setores de atuação e áreas de conhecimento dos candidatos. Os vinte primeiros alunos do ranking terão suas vagas garantidas no programa da EGI. Os alunos nas posições entre o 21 e o 35 poderão ser substituídos para atender ao critério da diversidade. O NIC.br/CGI.br reserva-se o direito de convidar, ainda, participantes adicionais, divididos entre seus funcionários e representantes de seus parceiros institucionais, para acompanharem a realização do curso.

Dia 08/07

Horário Atividade
18:30 - 21:00 Abertura do Curso Intensivo da Escola de Governança da Internet

Dia 09/07

Horário Atividade
08:30 - 10:00 História da Internet
Demi Getschko
10:00 - 10:30 Intervalo
10:30 - 12:00 Fundamentos técnicos: como funciona a Internet
Lisandro Granville
12:00 - 13:00 Almoço
13:00 - 14:30 Fundamentos Técnicos II: Nomes de domínio, Números IP, Protocolos e Padrões
Rubens Kuhl
14:30 - 15:00 Intervalo
15:00 - 16:30 Fundamentos Técnicos III: Aplicações Internet e a Web
Vagner Diniz
16:30 - 16:45 Intervalo
16:45 - 18:15 Ecossistema da Segurança cibernética: CSIRTs, PSIs, Órgãos Públicos
Cristine Hoepers e Klaus Steding-Jessen
18:15 - 19:30 Jantar
19:30 - 21:00 Diálogos 1: Governança da Internet, multissetorialismo e a gestão de temas de interesse público
Carlos Alberto Afonso e Diego Canabarro

Dia 10/07

Horário Atividade
08:30 - 10:00 Uma introdução a governança da Internet
Flávio Wagner
10:00 - 10:30 Intervalo
10:30 - 12:00 CGI.br - história e desafios
Carlinhos Cecconi e Juliano Cappi
12:00 - 12:30 Intervalo
12:30 - 14:30 Regulação e Políticas Públicas para a Inclusão Digital no Brasil: histórico e desafios atuais
Flávia Lefèvre e Fábio Senne
14:30 - 15:00 Intervalo
15:00 - 18:15 Semifinal da copa do mundo
18:15 - 19:30 Jantar
19:30 - 21:00 Diálogos 2: Desafios jurisdicionais da Internet
Luiz Fernando Martins Castro, Luiza Brandão e Jacqueline Abreu

Dia 11/07

Horário Atividade
08:30 - 10:00 Trabalho e Futuro
Rafael Evangelista
10:00 - 10:30 Intervalo
10:30 - 12:00 Neutralidade da Rede
Vinicius Santos e Nathalia Sautchuk
12:00 - 13:00 Almoço
13:00 - 14:30 Desafios persistentes I: Propriedade Intelectual e acesso ao conhecimento
Sergio Branco
14:30 - 15:00 Intervalo
15:00 - 16:30 Cadeia de valor do provimento de acesso à Internet
Percival Henriques e Eduardo Parajo
16:30 - 16:45 Intervalo
16:45 - 18:15 Desafios emergentes I: Governança dos algoritmos, Inteligencia artificial
Sergio Amadeu
18:15 - 19:30 Jantar
19:30 - 21:00 Diálogos 3: Desafios das grandes plataformas: inovação, neutralidade, opinião pública
Wilson Gomes e Vinicius Marques de Carvalho

Dia 12/07

Horário Atividade
08:30 - 10:00 Desafios Persistentes II: Privacidade e Proteção de Dados Pessoais
Danilo Doneda
10:00 - 10:30 Intervalo
10:30 - 12:00 Liberdade de Expressão I: Inimputabilidade da rede no Marco Civil da Internet – remoção de conteúdo e bloqueio de aplicações
Eduardo Magrani
12:00 - 13:00 Almoço
13:00 - 14:30 Liberdade de expressão II: proteção de crianças e adolescentes, discurso de ódio e fake news
Thiago Tavares
14:30 - 15:00 Intervalo
15:00 - 16:30 Liberdade de Expressão III: Internet e democracia
Wilson Gomes
16:30 - 16:45 Intervalo
16:45 - 18:15 Liberdade de Expressão IV: a atividade legislativa em torno da Internet
Bruno Bioni
18:15 - 21:00 Jantar de confraternização

Dia 13/07

Horário Atividade
08:30 - 10:00 Horário Livre
10:00 - 12:00 Atividade dos alunos: trabalho em grupos
12:00 - 13:00 Almoço
13:00 - 16:30 Atividade dos Alunos: apresentações
16:30 - 17:30 Atividade dos Alunos: Encerramento e avaliação

Sujeito a alterações.

  • 05/03/2018: Data de início da inscrição para seleção no curso
  • 29/04/2018: Data limite para inscrição para seleção no curso
  • 05/06/2018: Lançamento da lista de aprovados no curso
  • 08/07 - 13/07: Realização do curso